Arquivo para agosto \28\UTC 2008

Fica na seleção Dunga!

Começam aparecer boatos que Dunga está perto de ser demitido da seleção brasileira, dizem que o Luxemburgo vai entrar, não importa. Acho uma pena que ele saia pois o Dunga está sendo um dos poucos com coragem para peitar a globo, ele não leva o Galvão a passeios de barco como certos “esportistas” criados pela tal emissora. Está certo o Dunga, nada de privilégios para alguns e não para outros. Por isso, lanço a campanha “Fica Dunga: para todos aqueles que não suportam a globo!

Se você não tem afinidade com a globo e gostou da idéia então cole a pequena imagem abaixo na barra lateral de seu blog, assim como colei aqui. Acho que é uma forma bem humorada de mostrar nossa ingratidão pela emissora que muitas vezes nos faz torcer contra atletas brasileiros tanto pelo ufanisto quanto por falsas esperanças que passa para o povo.

Muitos podem falar a globo é uma empresa e faz o que quiser. Muito bem, somos os consumidores dessa empresa e estamos reclamando de um produto sem qualidade pois quem paga da conta da emissora são os anunciantes que sem o telespectador, digo, consumidor, sairiam a debandada daquela emissora. Então, vamos lá, fica Dunga!

Idéias sobre o futuro da TV

Duas notícias me fizeram voltar a pensar sobre o futuro da TV como é atualmente. A primeira, com título Ibope culpa trânsito e web por queda da TV, trata do óbvio, a queda da TV devido a internet. A segunda fala do crescimento de 28% de acessos doméstico a internet no mês de junho, em relação ao ano de 2007 (23,7 milhões de brasileiros navegaram na internet em julho). Esta notícia também aponta que os jovens contribuem para este aumento, o que é muito interessante pois já vão adquirindo a cultura de internet.

Um dos motivos para a substituição da TV pela internet está na comunicação bidirecional, onde o usuário pode escolher uma programação personalizara na hora mais adequada e fica independente de horários nebulosos para acompanhar o próximo programa, além claro, de ter que aguentar os intervalos comerciais que às vezes são mais longos que os próprios “programas”.

A TV, da forma que é, ainda tem alguns anos de sobrevida por alguns motivos. Um deles é que a popularização da internet ainda é um problema no Brasil pois nem todos têm acesso. Outro está na baixa velocidade do acesso doméstico, que não permite que o usuário assista a videos em tempo real. Imagino que este deve ser resolvido em alguns anos com o aumento da banda e redução no custo, isto é, se não houve pressão dos interessados em continuar com a arcaica forma de comunicação, a televisão.

Alguns podem argumentar que não haverá conteúdo bom para internet como há na TV (há?). Eu pensaria duas vezes sobre isso, pois há muitas pessoas criativas que não tem oportunidade na grande mídia. E mais, já começamos a perceber que a internet proporciona boas oportunidades de comunicação, desde exposição de idéias em blogs como produção de pequenos vídeos e animações capazes de atingir milhões de pessoas. Isso seria inimaginável em tempos passados, no tempo de televisores com apresentadores com ares de naftalina.

O pessoal de TV tem que ficar com medo e precisa ou aproveitar para ganhar seus “últimos dinheiros” ou saber se adaptar à nova realidade. Na minha opinião essas pessoas já saem perdendo pois na internet sim terão concorrência, não será um ibope da vida que acaba sendo uma “competição” mais para iludir o público, mas sim estarão frente a pessoas realmente criativas, aquelas que não saem em Caras.

Dinheiro gasto pelos Estados Unidos nas olimpíadas

Vendo o bom desempenho dos EUA nessas olimpíadas fiquei curioso para saber quanto o governo daquele país gastou na preparação específica de seus atletas para os jogos. Imaginei, ora, que teria gasto uma quantia razoável já que só o Brasil gastou R$ 1,2 bilhões, como comentei no post Brasil compra medalhas a peso de ouro, alguns dias atrás.

Buscando por informações sobre os gastos do governo americano nos jogos fui surpreendido pela matéria que encontrei no site do próprio governo, dizendo basicamente que a maioria do dinheiro para os esportes olímpicos vem de empresas e cidadãos. Eles citam as sentenças abaixo, que dizem que o governo não subsidia o comitê olímpico americano.

The USOC is unusual within the international sports community in that it is funded by contributions from private citizens and by major support from the corporate community. The USOC, unlike the vast majority of the 198 national Olympic committees, receives no ongoing government subsidy.

Nos EUA há uma fundação olímpica, uma organização sem fins lucrativos que também ajuda a subsidiar as olimpíadas. O mais interessante é ver como essa fundação foi iniciada. Foi suportada inicialmente com de U$115 milhões arrecadados a partir da venda de moedas comemorativas das olimpíadas de Los Angeles em 1984. O povo acaba ajudando na formação dos atletas, ou seja, não aparece apenas na hora de cobrar resultados, medalhas e chama-los de pipoqueiros.

Fico imaginando qual seria a reação dos brasileiros se o comitê olímpico começasse a pedir doações como faz o comitê olímpico americano em sua página. Podemos argumentar que nosso país é pobre. Realmente, uma boa parte da população não pode doar mas acredito que 52% da população, a classe média (Classe média já é a maioria no Brasil, aponta pesquisa da FGV), poderia. Quando me refiro a doação não estou falando em R$100,00 mas sim 2 ou 3 reais, o que daria uma contribuição de aproximadamente 200 milhões, uma bela ajuda, não? Aí sim passaríamos a ter o direito de criticar quando um atleta não vai bem ou falar fulano do Brasil! Pois seria o povo quem ajudou em sua ida para as olimpíadas.

Tudo muito lindo nos números mas tem um pequeno problema, nunca abriríamos mão de uma cervejinha para ajudar um desconhecido. Mas vamos lá, rumo às olimpíadas de 2016 no Rio!

Medalhas usadas em todas olimpíadas

Aproveitando que o Brasil está jogando contra os EUA pela final do vôlei, resolvi procurar para ver como é uma medalha olímpica. Para minha surpresa, são lindas, nada parecido com aquelas recebemos na terceira série do primeiro grau (agora ensino fundamental) quando ganhamos o campeonato inter-classes. Coloco imagens com a frente das medalhas para se ter uma idéia de como são, o verso das medalhas pode ser encontrado no site do comitê olímpico internacional, de onde essas imagens foram retiradas, inclusive tem um plugin para visualização tridimensional das medalhas. Há muitas informações interessantes nequela página, vale a visita.

Só faltou a medalha das olimpíadas de Pequim mas essa deve ser fácil de encontrar nos aeroportos pelo Brasil a fora durante a próxima semana. Apesar de todas serem muito bonitas a que mais gostei foi de atenas 2004. Se a olimpíada de 2016 for no Brasil será que vão colocar enfeites de carnaval na face da medalha? Espero que não.

Atenas 1896

Paris 1900

St. Louis 1904

Londres 1908

Estocolmo 1912

1916

Antuérpia 1920

Paris 1924

Amsterdã 1928

L. Angeles 1932

Berlim 1936

1940

1944

Londres 1948

Helsínque 1952

Melbourne 1956

Roma 1960

Tóquio 1964

C. México 1968

Munique 1972

Montreal

Moscou 1980

L. Angeles 1984

Seul 1988

Barcelona 1992

Atlanta 1996

Sydney 2000

Atenas 2004

Continue lendo ‘Medalhas usadas em todas olimpíadas’

As olimpíadas acabaram, e agora?

Essas duas semanas têm sido muito boas, esportivamente falando, pois toda a noite há uma variedade de esportes para acompanharmos, muitos recordes e algumas emoções, não necessariamente com os brasileiros. Mas tudo isso acaba hoje, o último dia dos jogos olímpicos. Qual será nosso futuro?

Volta tudo como era antes, em pouco tempo vamos esquecer o nome dos atletas que ganharam alguma coisa para o Brasil, podemos fazer o teste tentando citar para onde foram as três medalhas de bronze que os brasileiros ganharam em Atenas. Vamos voltar a ter “várias” opções de esportes para assistir, voltaremos ao futebol e só. Não nos restam outras opções. Quando veremos judô, atletismo, ginástica ou natação novamente? Boa pergunta. Aí está o problema, respiramos apenas um esporte e não há mágica que faça ganhar todas as medalhas desejadas se não mudarmos um pouco certas atitudes (ou interesses) comodistas. Viva a inércia!

Todo corpo permanece em seu estado de repouso ou de movimento retilíneo e uniforme, a menos que seja obrigado a mudar seu estado por forças impressas a ele. (Isaac Newton)

Brasil, o país do vôlei!

Não, não é emoção pela recente vitória da seleção feminina, mas sim uma constatação comparando o número de medalhas obtidas com vôlei e o futebol nas olimpíadas. Podemos mudar o título de país do futebol para país do vôlei.

Considerando no feminino medalhas obtidas a partir de 1996, que foi quando o futebol feminino passou a integrar as olimpíadas, o vôlei terá 7 medalhas, considerando o ouro ou a prata do voleibol masculino que será disputado hoje. Já o futebol tem 6 medalhas, além disso, nenhuma é de ouro, 4 de prata e 2 de bronze, enquanto o vôlei tem 3 medalhas de ouro, podendo chegar a 4 ao final dessas olimpíadas. Portanto, entre ser país do futebol e do vôlei, o Brasil é do vôlei! Muito melhor.

A propósito, alguém viu a globo, que tanto suporta o futebol, comentando enfaticamente sobre o campeão do futebol masculino como fazem para qualquer campeonato estadual? Se suportam tanto o futebol deveriam pelo dever de informar bem seus telespectadores sobre o assunto. Vai ver que informação não é bem o esporte da globo, se é que vocês me entendem.

Maurren Maggi ganhou mas não levou

Hoje vimos a primeira brasileira ganhar uma medalha de ouro nas olimpíadas. Maggi foi melhor que todas as outras, será? Depende do ponto de vista. Ela foi melhor que todas as outras que estavam competindo mas seu salto de 7,04m não ficou nem próximo do recorde, o que em nenhum momento tira os méritos da Maurren. É apenas estranho pois nesses jogos nos acostumamos a ver tantos recordes caindo por terra (ou água). Na verdade, seu salto não está nem entre os dez melhores saltos da história, deve ter sido a poluição de Pequim. A tabela abaixo mostra uma lista com os dez melhores saltos da modalidade.

Acho que ficamos mal acostumados vendo o Michael “peixe” Phelps e sua turma da natação, o papa-léguas Bolt e a russa Isinbayeva quebrando todo quanto é recorde. Não é a toa que esses são os grandes nomes dessas olimpíadas.

Coloco o gráfico abaixo para termos uma comparação do salto da Maurren Maggi com a evolução da melhor marca mundial da modalidade. A flecha no gráfico mostra que o salto de hoje se compara com ao recorde mundial batido em 1978, há 30 anos, mesmo ano do nascimento do famoso garoto bombril. Aproveitando, será qual dos dois lembraremos em 30 anos, Maggi ou garoto bombril? Conhecendo um pouco do Brasil eu tenho meu palpite.


Categorias

hit counter html code
agosto 2008
S T Q Q S S D
    set »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031